quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Ritual para celebrar o Alinhamento Galático (21/12/2012)

Link


Para aqueles que se interessam em comemorar esse evento, que só acontece a cada 26 mil anos, e que foi explicado na postagem anterior; deixo minhas dicas para essa singela comemoração.

Não acho que seja necessário rituais extensos e grandiosos a esse respeito; sou e sempre fui adepto de que na simplicidade pode morar grande intensidade, desde que feita com dedicação, cuidado e respeito. Por isso não pense que eu irei dar dicas de um ritual muito elaborado e detalhado - apesar de grande simpatizante não sou magista e não lido diretamente com Alta Magia.

Minha dica começa com 72 horas antes da comemoração. Nesse prazo, não ingira nenhum alimento de base em carne, se possível, mesmo peixe e derivados. Tente uma alimentação balanceada e natural para limpar um pouco seu organismo. Evite também o consumo de álcool e, se possível, retire os elementos considerados viciantes de sua mesa e refeições por esse tempo. Nesses três dias que antecederem ao ritual, realize pelo menos a meditação de Ancoramento e Centramento, mas se possível realize junto a Meditação da Árvore, pelo menos uma vez por dia, ao acordar ou antes de dormir. Evite desentendimentos e saia fora dos problemas que você puder contornar. Paralelo, resolva o máximo de coisas inacabadas que te forem possíveis resolver nesse prazo. Tente dedicar-se a penas ao que te faz bem.

Para o dia em questão, você precisará de:
  • Uma vela dourada (ou branca);
  • Um pacote de sal de cozinha;
  • Um giz de quadro (ou outro material que te permita desenhar no chão e depois ser limpo com facilidade);
  • Um cálice com vinho / cerveja / suco / água para a libação;
  • Um incenso (recomendo o ananda, lótus, absinto);
  • Um Elixir de Fogo (dica: prepare um com erva cidreira, alecrim, alfazema, benjoim e cravo-da-índia);
  • Um Cristal Branco;
  • Uma Opala;
  • Um caldeirão;
  • Um besom / heskuvyta / vassoura.


Recomento que você tome um banho de ervas antes do ritual, sugiro erva cidreira, cravo e comigo-ninguém-pode. Vista-se com roupas confortáveis, de preferência brancos (ou, se preferir, una essa comemoração com Yule e vista-se em suas cores: verde e vermelho). Realize o ritual descalço.

Desenhe no chão com o giz o nosso Sistema Solar, do jeito que aprendeu na escola, colocando o Sol ao centro. Marque a posição do Sol com o Caldeirão de Fogo, e a posição da Terra com o Cristal Branco. Próximo ao centro, coloque os demais objetos que você irá utilizar. Monte um altar em volta do Sol (caldeirão) e deixe sua intuição te guiar.

Trace um Círculo de sal em volta de tudo o que você montou. E, se achar prudente, desenhe um pentagrama com o sal dentro do Círculo.

Se possível, realize esse ritual no horário exato do alinhamento, às 10:05 horas do dia 21/12/2012. Mas se não der, por razões de trabalho ou outras, não se preocupe, o movimento do Sol na Galáxia é lento, você ainda pegará esse alinhamento mesmo que o faça junto com Yule, na madrugada do dia 22/12.

Com tudo pronto e traçado, purifique o local e as pessoas com água salgada, incenso e besom; invoque os Elementos, trace o Círculo como de seu costume. Adentre todos no Círculo, tomem suas posições e acendam a vela e invoquem as energias:

Sol, astro querido
Rei, pai, senhor e amigo!
Tu também tens teu Ciclo
E hoje estás de fato renascido...

É a ti que invoco nesse momento tão sublime e grandioso
Para receber de ti todo esse poder grandioso.
Que tuas energias possam passar a mim,
todas as energias que a Galáxia emana.
Que tu sejas a ponte poderosa
Que liga nosso mundo a todo o poder que a Galáxia exala.

Que todas essas energias sejam positivas,
Que sejam de paz, harmonia, equilíbrio e sempre amigas!

Que seja também teu este poder,
E que por mais uma Era continue nos enviando sua luz
Ensinando-nos a sermos sempre dignos
Dessas energias sempre receber!


Então realize a Meditação da Árvore, se conectando com o Universo. Ao regressar da meditação, acenda o Caldeirão de Fogo e, em sintonia por sua representação, sinta que o Círculo é a conexão pura com nossos Sistema Solar e que do Fogo emana as energias de nosso Sol, e que junto dele recebemos as energias de nossa Galáxia com ele, e através dele, simbolizado e invocado no fogo que arde no centro de nosso Círculo. Se estiver em grupo, de mãos dadas, firmem essa conexão, invoquem ela em suas vidas e fixem elas em vocês e através de vocês. Se estiver sozinho, faça o mesmo, mesmo que solitário.

Quando sentir que terminou, consagre a libação, sirva a todos (se for em grupo) e beba-a, sentindo que você internaliza, absorve, canaliza toda essa energia. Quando terminar tudo, desfaça o Círculo e comemore o momento. Quando tudo houver, enfim, acabado, limpe tudo e enterre os restos.


Se você quiser, pode mesclar essa comemoração com a comemoração de Yule, mantendo um fogo aceso até o nascer do sol do dia 22/12, mesmo que o fogo de uma vela (no tom verde). Sinta-se livre para adaptar o ritual, acrescentando coisas suas, tornando-o seu.

Outra dica que dou, se existir algo te fazendo mal, destrua algo que o represente, através do fogo, antes do ritual começar, deixando tudo embora e se liberando para renascer em harmonia.

A última dica é que um bom chá de Losna pode ajudar bastante se tomado minutos antes do ritual.


Que essas energias sejam prósperas e plenas em sua vida! Que esse Yule seja perfeito para todos nós, recobrado de bênçãos!


FELIZ ALINHAMENTO GALÁTICO e FELIZ YULE SABBATH!

O Alinhamento Galático de 21/12/2012

Link
Alinhamento Galático: Quando o Sol se alinha ao Equador Galáxial em conjunção com nosso planeta. Acontecerá dia 21/12/2012 iniciando às 10:05h.

Já me adianto dizendo que esse texto será bem grande, mas a leitura será muito instrutiva.

É sabido que o fenômeno, já previsto pelo calendário Maia, que acontecerá nesse dia 21 de dezembro de 2012 tem mexido com opiniões e causado polêmica há bastante tempo. Por isso, acho essencial desmistificarmos o que realmente vai acontecer.

Em primeiro ponto, para fazermos isso, é necessário entendermos que o Calendário de Tempo Longo Maia (o que termina nesse dia), é um calendário. E como todo outro qualquer, tem seu fim para ser recomeçado em um outro ano, longo ano. Para entendermos isso, é preciso entender que a concepção de ano com 365 dias é moderna, nem todas as sociedades contavam seus anos assim. Os gregos tinham duas contagens de ano: o "ano", que muito se assemelhava ao nosso ano comercial, e o "grande ano", o Grande Ano era um ano formado por 8 anos comuns. Os celtas contavam seu ano com 13 meses lunares, fazendo 364 dias anuais, e um dia "fora do tempo" - que não entrava na contagem (Samhain), formando um ano de 365 dias. Esse ano era colocado em um ciclo de 5 anos, chamado "Lustre" (origem da palavra luso - lusitanos, os que comemoram o lustre). A cada 6 Lustres, 30 anos, formava-se um Ciclo, uma Era Comum. A cada 21 Ciclos, ou 126 Lustres ou 630 anos, era contado uma Era Druídica ou uma Grande Era. Indo mais além, sabemos que o ano - considerando apenas o tempo de translação -, por exemplo, em Vênus é de 224 dias, e de Saturno é de aproximadamente 29 anos e 167 dias. Lembro também que as horas que contam os dias são diferentes nesses lugares em relação a Terra, dependendo da Rotação desses planetas.

O que estou querendo mostrar é que, é uma convenção nossa a forma com que contamos o nosso tempo, e que sociedades diferentes contam e contavam o tempo de forma diferente, usando referências diferentes. Os Maias não tinham um só calendário. O calendário a que nos referimos é o calendário de tempo longo em que um "ano" equivale a, na verdade, 26 mil anos. Podemos dizer que esse calendário nos conta a passagem de Eras, no caso Eras Astrológicas.

Para os maias, o Sol, seu grande Deus, nasceu do útero nossa Galáxia. A cada 26 mil anos, o Sol -  que está se movendo em nossa Galáxia -  se alinha - formando um alinhamento Terra-Sol-Galáxia -, sem nenhum astro entrepondo ao alinhamento, com o centro de nossa Galáxia, composto por um buraco negro e por altíssima radiação. Esse alinhamento, para os maias, simbolizava o nascimento do Sol e por isso era o momento de renascimento, de reiniciar a contagem. Como qualquer outro calendário, alguma hora se volta ao primeiro dia do "ano". É o que acontecerá com relação ao Calendário Maia.

Por outro lado, cabe ressaltar que esse evento é poderosíssimo, no que se diz a astrologia, trará uma grande carga de energia ao nosso sol e consequentemente ao nosso planeta. Isso inicia uma nova Era no nosso ciclo planetário que com seus 4,5 bilhões de anos já colecionou várias Eras e vários alinhamentos galáticos. Essas energias, certamente mudarão muita coisa a longo prazo em nosso planeta e em nossas vidas, mas se nutrir delas, ainda mais nessa data de Yule (21/12), é se aprimorar ainda mais e firmar maio conexão com o Universo que nos abriga.

Para explicar melhor tudo isso, faço minhas as palavras de Carlinhos Lima, no que ele postou em seu blog a respeito desse fenômeno:

[Retirado de Climazen - Umbanda Astrológica, por Carlinhos Lima].

O alinhamento do Sol com o centro da Via-Láctea em 21 de dezembro de 2012 que vai, de fato, acontecer, poderá parecer inédito, porque acontece uma vez a cada 26 mil anos, mas, para o planeta Terra, que tem 4,5 bilhões de anos, já aconteceu pelo menos 173 mil vezes. A Via Láctea descreve como um todo um movimento de rotação (apesar de os seus componentes não se deslocarem à mesma velocidade) e está inserida no chamado Grupo Local de galáxias, que é constituído por cerca de trinta galáxias; as principais são a Via Láctea e a Andrômeda (estas duas galáxias espirais gigantes orbitam um centro de massa comum).

A Via Láctea é classificada como sendo uma galáxia espiral e os seus braços estão em movimento rotatório em torno do núcleo, à semelhança de um grande cata-vento. É no braço menor de Órion que está localizado o nosso sistema solar. Ela possui apenas dois braços estelares principais e não quatro como se pensava: o braço Perseus e o braço Centaurus. Os demais braços foram reclassificados como braços menores ou ramificações. Esses dois braços principais contem uma enorme concentração de estrelas jovens e brilhantes.

A Via Láctea é a galáxia onde está localizado o nosso Sistema Solar. É uma estrutura em espiral constituída por cerca de duzentos bilhões de estrelas e divide-se em seis partes: núcleo, bolbo central, disco, braços espirais, componente esférico e halo. O núcleo tem a forma de uma esfera achatada e é uma fonte de intensa radiação eletromagnética, provavelmente devido à existência de um buraco negro no seu centro.

O alinhamento galáctico em questão é o alinhamento do Sol no Solstício de Inverno de 2012 com o centro da Via Láctea, no Equador galáctico (linha análoga ao Equador terrestre, que divide a nossa galáxia em duas partes). Um alinhamento com estas características apenas acontece uma vez a cada 26 000 anos e coincide com o fim do calendário de Conta Longa dos maias. O disco é a parte mais visível da galáxia e é nesta estrutura que repousam os braços da Via Láctea. As estrelas do disco têm um movimento de translação em volta do núcleo, todas as estrelas que observamos no céu noturno estão localizadas no disco galáctico.

A Via Láctea descreve como um todo um movimento de rotação (apesar de os seus componentes não se deslocarem à mesma velocidade) e está inserida no chamado Grupo Local de galáxias, que é constituído por cerca de trinta galáxias; as principais são a Via Láctea e a Andrômeda (estas duas galáxias espirais gigantes orbitam um centro de massa comum). No interior do centro galáctico existe uma nebulosa região escura de pó e nuvens, semelhante a um corredor escuro, conhecido atualmente por Dark Rift e conhecido pelos maias por Xibalba Be ou Caminho Escuro.

Em termos de mitologia maia, a Via Láctea representa a Grande Mãe Cósmica, a partir da qual toda a vida nasceu e o seu centro representa o útero cósmico. O Sol – e com ele o sistema solar - efetua uma rotação completa em torno do núcleo a cada 200 milhões de anos, à velocidade de 225 Km/s, estando localizado a cerca de 27 mil anos-luz do centro galáctico. Relativamente ao alinhamento há quem defenda que, mais precisamente, o Sol no Solstício de Inverno de 2012 atingirá um determinado ponto no fundo do Dark Rift e parecerá nascer do mesmo, do “Canal de Nascimento Galáctico”. É como se o Sol nascesse de novo do útero cósmico. Para alguns, a constelação de Cygnus é importante neste alinhamento: esta encontra-se localizada no topo do Dark Rift, podendo significar o local do nascimento cósmico.

Este alinhamento galáctico pode ser antes descrito como um alinhamento do Sol com o Dark Rift e 2012 indica o ano em que estes estarão alinhados, em conjunto com o fim do ciclo atual de Precessão. John Major Jenkins promoveu a ideia deste alinhamento cósmico, considerando que este é determinado pela Precessão dos Equinócios. Este movimento altera a posição dos Equinócios e Solstícios em um grau a cada 72,2 anos; a posição destes move-se 360 graus em 26 000 anos, o que significa que se movem 0,01 graus por ano. Por isso este alinhamento ocorre aproximadamente durante 36 anos, entre 1980 e 2016 - Zona de Alinhamento Galáctico.

Diz-nos que um novo Sol nasce, que um novo ano madruga, que um novo ciclo galáctico começa, que há uma transformação da Terra. O centro galáctico é grande, o Sol também é grande e os movimentos são lentos, um alinhamento entre o Sol e o centro da Via Láctea decorre durante muitos anos e o alinhamento entre o Sol e o Equador galáctico ocorre durante 36 anos.

De acordo com cálculos astronômicos recentes, o meridiano do Solstício coincidiu mais precisamente com o Equador galáctico em 21 de Dezembro de 1997. Deste modo, a ideia do alinhamento do Sol com o Dark Rift parece fazer mais sentido. Em várias culturas ancestrais, o Solstício de Inverno era comemorado: o menor dia do ano, a partir do qual a duração dos dias começa a crescer, simbolizava o início da vitória da luz sobre a escuridão. O Solstício de Inverno de 2012 parece ser uma data com significado especial na cosmologia maia, talvez relacionada com a Precessão dos Equinócios em relação a outros corpos celestes. Esta data pode ser um indicador de uma fase no período de transição entre eras – o processo de nascimento da nova era e o início do novo ciclo de precessão.

A humanidade não tem sido só cruel com a Natureza, mas também cruel consigo mesma na sua inconsciência até os dias atuais. É de pasmar a violência com que os seres humanos se tratam entre si, quando divergem em seus interesses e crenças ou quando simplesmente só pensam em ganhar, sem se interessar quem ou o que está perdendo. A história da Humanidade é cheia de guerras, chacinas e aniquilamentos, a vida cotidiana da maioria das pessoas sofre diversos tipos de violência. Na atualidade, torna-se prioritário a necessidade do desenvolvimento e reconhecimento do jeito feminino de ser, como melhor forma de encarar os desafios e as questões emergentes que nos castigam na atualidade. E é uma coincidência cósmica ou fato já predeterminado que a Lua como regente astrológico dos temas femininos, do lado sentimental, da mulher e da sensibilidade da alma, seja a regente do ano 2012, que mesmo que não seja prenuncio de nenhum fim ou transformação radical, é um ano que já vai de qualquer forma ficar pra história. E como buscador que sempre fui eu aprendi que tudo que grafa sua marca no tempo tem algum principio importante e pertence a alguma coisa grandiosa. Assim um ano que gerou tanta falação, filme, histórias e livros, certamente, alguma coisa, mesmo que não venha a ser percebida no nível consciente, vai revelar pra toda humanidade e o planeta.

Os fenômenos que estão acontecendo no Universo, estão criando uma pressão energética suficiente para promover transformações positivas na expansão da consciência, mas se insistir no que sabe que é negativo a este movimento, não conseguirá lidar com a energia e entrará no desespero e no baixo astral. Habitualmente os trabalhos espirituais lidam com hierarquias e incluem relacionamentos com outros humanos. A hierarquia e os relacionamentos mexem com conflitos de personalidade, como a programação de personalidade na infância e os diversos traumas de criação. Cada um tem que descobrir imediatamente seu grupo espiritual, assim como o jeito de trabalhar sua emoção.

Ao mesmo tempo em que as forças da Natureza se manifestam a favor da vida, em momentos de fúria, ela destrói tudo e homenageia a Morte. A Humanidade, na sua multiplicação e luta egoísta e desesperada pela sobrevivência, violentou todos os ecossistemas do planeta e o caos que isto gerou é tão grande, que é difícil imaginar uma solução, a não ser, se vinda de um Plano Superior. Agora, com Netuno em Peixes esta rede será ativada na sua intensidade máxima. Todos ficaremos apaixonados uns pelos outros, o amor reinará em todos os relacionamentos.

A cada dia se fundem ciência, espiritualidade e arte. A linguagem da arte está por ser consagrada como a língua oficial. Desenvolva seus talentos artísticos, acorde e durma na celebração e na adoração ainda que esteja diante da sua Sombra. O que se pode afirmar, é que as condições ambientais criadas pelo impacto da espécie humana estão provocando mudanças hostis a vida em geral, especialmente a própria vida humana. Mas nunca nada, que o próprio Ser Terra não pudesse mudar se fosse a sua vontade. O projeto humano no planeta Terra é comandado, evidentemente para mim, por uma inteligência superior, que deve ter controle total da situação geral. A entrada de Plutão em Capricórnio vai revelar o grau do impacto que a espécie humana está provocando na Terra, nos seus ambientes e sistemas, prejudicial para a vida em geral. Cabe a nós encontramos em conjunto solução para estes desafios.

O grau de consciência individual e social atual, em geral, é menor que o solicitado pela complexidade dos desafios que vivermos, e assim cometemos muitos erros e faltas que se refletem nos impactos negativos que provocamos em nós mesmos e no ambiente. O ser humano criado e educado na carência e na falta pode se tornar em verdadeiros monstros devastadores. Assim, nossos espíritos iluminados tem que conseguir assimilar a situação alcançada pela família e a sociedade onde nasce, e movidos pela força e luz da alma, irmos vencendo os desafios que correspondem a nosso carma individual, familiar e social.

Muitos astrólogos de revistas vivem pregando por ai que a Era de Aquário é uma era de "liberdade" de um novo arranjo social onde o homem vai se confraternizar melhor, mas a simbologia oculta de Aquário não é bem assim. Na verdade essa vibração cósmica tende mesmo a agrupar as pessoas e a sociedade forma novos objetivos no mundo, no entanto com o arranjo dos demais planetas exteriores e o lado sombrio desse signo, não tenho duvida que muitas entidades falsas, manipuladas por líderes mentirosos, como por exemplo, religiões sensacionalistas, demagogas que usam o nome de grandes mestres pra manipular serão num numero muito maior que os movimentos verdadeiros!

Carlinhos Lima - Astrólogo, Tarólogo e Pesquisador.

[Retirado do blog Climazen - Umbanda Astrológica, por Carlinhos Lima].


FELIZ ALINHAMENTO GALÁTICO! 

Lua Minguante

Link

Uma curiosidade a respeito dessa Lua: ela inverte de posição no Hemisfério Norte pro Sul e com a Lua Crescente. No Hemisfério Norte, essa Lua decresce da direita para a esquerda, formando um "C" quando está quase Escura (nova); enquanto a Lua, ainda no Norte, cresce da direita para a esquerda, formando um "D" quando está no Quarto Crescente - foi dessa associação que nasceu o símbolo )O(: crescente, plena, minguante/decrescente. Dessa forma, se diz que a Lua, no Norte, é mentirosa: ela forma um D (de decrescente) quando cresce e forma um C (de crescente) quando míngua/decresce. Já no Hemisfério Sul isso se inverte. A lua cresce da esquerda para a direita, formando um "C" no início de seu crescimento; enquanto também decresce da esquerda para a direita, formando um "D" em seu Quarto Minguante. Desse modo, o símbolo correto para a Tríplice Lunar no Sul seria (O): crescente, plena, minguante/decrescente. Assim, no Sul, a Lua não é mentirosa.



Essa Lua vai desde quando a Lua começa a minguar, em geral a partir do segundo dia cheia, até um dia antes da Lua desaparecer, se tornar escura (nova). Mas o pico de poder dessa Lua acontece no Quarto Minguante, data em geral especificada pelos calendários comerciais. 

Se a Lua Crescente é Jovem, A Lua Plena é Mãe, sobrou-nos a Lua Minguante como Anciã. Essa é um arquétipo curioso e muitas vezes incompreendido. A Lua Minguante representa o final do Ciclo, a preparação para a Lua Negra, para a Morte e Renascimento, para aquilo que não podemos ver ou sondar. Por isso, ela nos fala do que é preciso ser feito. A Anciã já amadureceu e obteve toda a experiência necessária para saber o que é certo e errado, se tornando a Conselheira. Mas ela também não mais se preocupa em ser cândida e carinhosa como a Mãe, ela é severa se precisar ser, meiga se precisar ser, e faz aquilo que é certo, muitas vezes em detrimento do que se tem vontade.

Desse modo, a Anciã nos fala da verdadeira amizade, sincera. A sinceridade é a marca grandiosa dessa Lua, doendo ou amortecendo, ela jamais deixará de agir pela prudência, certeza, verdade e necessidade.

Essa Lua também pode nos indicar um lado perverso, como o amargor de uma velhice rabugenta ou decorrente de uma vida solitária e depressiva. Portanto, algumas vezes essa Lua nos falará de seu lado Megera, em contraponto a candura da Jovem - quem em outros momentos pode se mostrar Rebelde, em contraponto a serenidade da Anciã. Mas é esse lado Megera que temos que nos precaver. E não é difícil fazer isso. Se formos amorosos e dedicados com o que nos propomos, certamente essa Lua não terá razão para se mostrar como Megera para nós, pois terá recebido de nós durante seu Ciclo aquilo que prometemos e a Ela direcionamos com amor e presença.

Por outro lado, essa é a última Lua antes da Lua Escura, antes do Ciclo se findar e reiniciar. Por isso é a Lua que, assim como mingua no céu, promete minguar com aquilo que é preciso deixar para trás para podermos prosseguir e renascer. Desse modo, ela nos convida a uma reflexão a respeito da nossa vida e a tomar as decisões que não foram tomadas e que tão necessárias se mostram. É por essa razão que essa Lua é recomendada para todo o processo ou trabalho que precise indicar um fim, uma despedida, um término.

Assim, para comemorar / canalizar essa Lua eu recomendo em primeiro que você se junte aos seus, aos amigos realmente amigos em sua vida. Em segundo, inicie um processo de reflexão a seu respeito e a respeito de sua vida. Assinale os pontos que você quer e que você precise mudar, nos âmbitos que forem de sua vida. Então encontre algo que simbolize todas essas coisas juntas, ou separadamente. Pegue esse(s) objeto(s) e mentalize tudo o que você quer minguar ou eliminar. Então separe-os em seu altar ou no centro de seu círculo, junto com uma vela roxa, água, sal e um incenso purificador (ananda, benjoim, arruda, sete ervas, lavanda). Faça um círculo de sal em volta do local. No centro coloque os objetos, a vela roxa, a água, o sal, o incenso, um caldeirão com elixir de fogo e um cálice com água. Tome um banho de ervas (recomendo uma mistura de arruda, benjoim, alecrim, erva cidreira). Depois do banho, entre no círculo, volte a meditar e a fazer uma reflexão a respeito de sua vida, fixe nas coisas que você precisa eliminar ou minguar em você. Então, acenda a vela e invoque os poderes dessa Lua:



Lua que de serena e megera se faz
Seja a minha amiga
Reabra minha vida!
Ensine-me a mudar o que tem de ser mudado
E me faça deixar para trás o que deve ser apenas passado!
Minha Anciã de grande poder,

Te invoco nesse momento
Que seja tua energia a me preencher.
Amiga queria,
Sempre bem-vinda,
Me aconselhe e me guie,

Me ensine e ilumine.

Que eu possa meus defeitos enxergar
E toda negatividade expulsar...
Que com tua ajuda e guia eu venha a renascer

Do jeito exato que devo ser!"

Acenda em seguida o caldeirão de fogo. Se purifique com a água salgada (três pitadas de sal mexidas nove vezes em sentido horário), e com o incenso e mentalize que toda a negatividade está sendo consumida e transformada pelo fogo, assim como tudo o que você quer banir. Então pegue o(s) objeto(s), e volte a mentalizar tudo o que já mentalizou antes, e quando sentir que deve, se desapegue dele(s) jogando-o(s) no fogo. Veja e sinta tudo se consumir e transformar, dentro e fora de você. Quando terminar, faça a Meditação da Árvore, fixe sua energia com a Terra, tome a água do cálice e se abra para o renascimento e para a condução dessa Lua em sua vida. Quando tudo terminar jogue os restos em um rio ou água corrente.


FELIZ ESBBATH!